Dados do Degrad estão presos no Governo Federal

14/08/2014

O monitoramento da cobertura florestal da Amazônia é realizado sistematicamente por um conjunto de projetos desenvolvidos e operados pelo INPE, órgão ligado diretamente ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Entre esses projetos está o Mapeamento da Degradação Florestal na Amazônia Brasileira, conhecido como Degrad.

Sistema Degrad
Foto por Leonardo F. Freitas

O Degrad foi desenvolvido pelo INPE por conta da constatação, feita a partir de análises do Prodes e do Deter, de que era crescente a área de florestas que, embora estivessem sofrendo exploração, ainda não haviam sido totalmente convertidas – ou seja, não configuravam corte raso. São florestas que passaram por corte seletivo, em geral feita por exploração madeireira sem manejo sustentável, mas que conservam parte de seu dossel.

Após realizar e divulgar levantamentos para os anos de 2007, 2008, 2009 e 2010, o INPE não divulgou novos resultados desse monitoramento, que são publicados em http://www.obt.inpe.br/degrad/. No entanto, este site apurou que o INPE já tem os dados do mapeamento da degradação da cobertura florestal na Amazônia referentes a 2011, 2012 e 2013.  Cabe ao MCTI e ao Ministério do Meio Ambiente decidir sobre a divulgação pública dos dados do Degrad, assim como dos outros projetos de monitoramento.

Especialistas afirmam que os dados sobre degradação florestal são fundamentais porque o Degrad contribui para revelar a "qualidade" da floresta remanescente, complementando os dados do Prodes, que se dedica exclusivamente a quantificar as áreas que sofreram corte raso. Esse dado é relevante, ainda, para centros especializados, governamentais e não-governamentais, atualizarem as estimativas de emissões de gases de efeito estufa para o país, considerando os compromissos do Brasil com a Convenção-Quadro da ONU sobre Mudança do Clima.


Fontes:
Francisco Oliveira Filho, diretor do Depto. de Políticas para o Combate ao Desmatamento/ Ministério do Meio Ambiente
Fone: (61) 2028-2140/ francisco.oliveira@mma.gov.br
Luis Eduardo Maurano ou Dalton Valeriano/ Div. de Sensoriamento Remoto, Prodes INPE
Fone: (12) 3208-6436/  prodes@dpi.inpe.br